Publicado em 22/05/2019 às 15h58.

Camargo Correa pode ter sido privilegiada em licitação da Linha 3 do metrô Salvador-Lauro

Troca de e-mails entre empregados revela que a empresa teve acesso a informações sigilosas antes mesmo da publicação do edital

Redação
Foto: Elói Corrêa/ GOVBA
Foto: Elói Corrêa/ GOVBA

 

A Camargo Correa INFRA-TSEA-EPC recebeu informações privilegiadas para participar da licitação do tramo 3 do Sistema Metroviário Salvador-Lauro de Freitas. O bahia.ba teve acesso, com exclusividade, a uma troca de e-mails, de junho de 2018, entre os empregados da Gerência de Engenharia e Excelência da empresa.

O conteúdo das mensagens revela que, mesmo antes do lançamento do edital – realizado apenas cinco meses após a conversa -, a Camargo Correa teve acesso a informações que seriam sigilosas sobre o anteprojeto do novo trecho – o que, inclusive, teria viabilizado a oferta do melhor preço na licitação.

Metrô e-mail 1

De acordo com e-mail, a solução para viabilizar a obra que foi publicada tinha sido obtida pela Camargo Correa anteriormente, assim como a empresa já estava estudando soluções alternativas para disputa da obra em questão, considerando que o projeto Arcadis – CCR teve sua emissão em janeiro de 2018.

Ao comparar trechos do e-mail com o edital da licitação, nota-se que as soluções apresentadas são idênticas. Além disso, as vias metroviárias elevadas e em superfície; o traçado geométrico, planimétrico e altimétrico; a posição das estações Campinas e Águas Claras e do Terminal de Integração; e a definição de edificações e plataformas de embarque apresentam as mesmas características do anteprojeto do tramo 3.

Inabilitação e vitória da Queiroz Galvão

Em janeiro deste ano, as concorrentes na licitação alegaram que os consórcios Serveng/Coesa e Camargo Corrêa não poderiam seguir no processo, pois as duas empresas são controladoras da atual concessionária do metrô de Salvador, a CCR Metrô Bahia.

Classificada inicialmente como primeira colocada, a Camargo Correa foi inabilitada pelo Governo do Estado após análise documental. A Queiroz Galvão, que ficou em segundo lugar, foi declarada vencedora em 20 de fevereiro deste ano.

Metrô e-mail 2

 

PUBLICIDADE