Publicado em 01/12/2015 às 10h36.

CQC vai à Chapada e promove embate entre brigadistas e governo

Reportagem fez acareação entre fiscal e brigadista e colocou secretário do governo em saia justa

João Brandão
(Foto: Dimitri Argolo Cerqueira)
Brigadistas ajudam a apagar o incêndio (Foto: Dimitri Argolo Cerqueira)

O incêndio que atinge a Chapada Diamantina há cerca de um mês foi o tema da reportagem do programa CQC, da Rede Bandeirantes, nesta segunda-feira (30). A matéria ouviu brigadistas e voluntários da região, que criticaram a ausência de equipamentos de Proteção Individual (EPIs), combustível e carros, além da falta de repasses de recursos pelo governo baiano.

Durante a reportagem, uma acareação entre um fiscal do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) e o líder dos combatentes do Vale do Capão elevou a temperatura do debate. “A gente quer saber onde estão os recursos, pois não chegaram para a gente. Vocês, na mídia, dizem que têm, mas cadê?”, questionou o brigadista. O agente do Inema rebateu: “Vocês querem o quê? Apoio financeiro?”. O brigadista voltou a contestar: “Somos voluntários há 13 anos. A gente quer EPI, você sabe o que é isso? Você já chegou numa linha de fogo?”, perguntou. Após o embate, o fiscal não quis mais conceder entrevista e pediu para o repórter procurar o coordenador do Inema.

O secretário estadual de Meio Ambiente, Eugênio Spengler, foi colocado em saia justa, ao ser confrontado com as reclamações, mas manteve o argumento de que o governo tem dado todo o apoio aos combatentes. “Poderia ser pior se não fosse a ação do governo da Bahia. Eles recebem treinamento e EPI”, afirmou, apesar das queixas. Em meio à tensão da entrevista, sobrou até para um assessor do Palácio de Ondina, que quis intermediar o bate-boca e foi acusado de propor censura.

Confira o vídeo: