Publicado em 15/05/2019 às 11h52.

Ex-mulher de Bassuma o acusou de agressão, mas faltou a audiências

Ayla Maria pode ter processo cancelado por 'falta de interesse'; ela também acusa o ex-marido de estupro

Milena Teixeira / Rodrigo Aguiar
Foto: Brizza Cavalcante/Câmara dos Deputados
Foto: Brizza Cavalcante/Câmara dos Deputados

 

Acusado de estuprar a filha adotiva, o ex-deputado Luis Carlos Bassuma (Avante) também responde por ter cometido violência doméstica contra a ex-mulher, Ayla Maria Queiroz de Mello Bassuma, no ano passado. Ayla, no entanto, não tem comparecido às audiências de justificação, escuta onde o requerente do processo apresenta provas contra o réu.

No processo, a juíza do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJ-BA), Denise Vasconcelos Santos, diz que a ação pode ser cancelada por “falta de interesse”, caso ex-mulher não vá à audiência, que foi remarcada para o próximo dia 03 de junho.

“Ressalte-se que o não comparecimento parte autora à audiência acima designada importará em extinção do feito, com fulcro no art. 485, VI, CPC, por reconhecida falta de interesse. Intime-se a parte autora através de telefone, existente nos autos às fl. 19. Diligências necessárias. Salvador (BA), 14 de maio de 2019”, diz a magistrada.

O ex-deputado disse que compareceu a audiência de acusação de violência doméstica na Delegacia da Mulher uma vez.

“Eu cheguei a ir para uma audiência, mas a delegada achou as acusações incambidas. Eu nem sabia desse processo. Meu advogado que me disse. Segundo ele, ela [Ayla] faltou três audiências”, contou Bassuma.

O bahia.ba tentou contato com o advogado que faz a defesa de Ayla, Artur José Pires Veloso, mas a reportagem não conseguiu retorno até o final desta publicação.

Caso Bassuma

Bassuma é acusado de estuprar uma filha adotiva, hoje com 5 anos. Ao bahia.ba, ele afirmou ter sido inocentado em todas as esferas.

O caso, que estaria correndo em segredo de Justiça, foi revelado na  terça-feira (14) pelo programa Que Venha o Povo, da TV Aratu.
Segundo a emissora, a denúncia foi feita pela mãe da menina, Ayla Queiroz, que procurou a Delegacia Especializada de Repressão a Crime Contra Criança e Adolescente (Derca). O casal está separado há dois anos e, segundo ela, juntos, adotaram a criança ainda bebê.

“Calúnia terrível. Processo iniciou em dezembro de 2017. A denunciante Ayla, inconformada com a separação e num triste gesto de vingança, usa nossa filha adotiva provocando mais traumas com essa criminosa falsa denúncia. Fui completamente inocentado em todas as esferas: delegacia, Ministério Público, Justiça. O relatório do MP comprovando toda a mentira tem 24 laudas”, escreveu Bassuma ao bahia.ba por meio de um aplicativo de mensagem.

Luis Bassuma se casou com Ayla no dia 29 de março de 2014. Ele adotou a filha, Maria, depois do casamento.