Publicado em 10/04/2019 às 21h00.

Governador defende a Fafen em reunião com ministro de Minas e Energia

Petrobras anunciou o fechamento das unidades na Bahia e em Sergipe no ano passado; governos lutam para reverter o quadro

Redação
Foto: Camila Peres/GOVBA
Foto: Camila Peres/GOVBA

 

O governador Rui Costa afirmou nesta quarta-feira (10) que as Fábricas de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen) da Bahia e de Sergipe estão acima do interesse comercial da Petrobras, detentora das unidades fabris.

O argumento foi apresentado durante encontro em Brasília com o governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, dos senadores dos estados e o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque.

A petroleira anunciou o fechamento das unidades no início de 2018 e, desde então, os estados lutam para a manutenção das operações.

“A Fafen é estratégica para o país. Somos um dos maiores do mundo em produção de grãos e proteínas, e, se queremos continuar, nós precisamos investir na produção de fertilizantes”, explicou o governador da Bahia.

Isso porque o gás que é utilizado para produção de fertilizantes nitrogenados (químicos) favorece a produção de grãos e proteínas. Rui afirmou ainda que o Brasil precisa olhar a venda de gás para a produção de fertilizantes e para viabilizar diversas outras indústrias, não apenas como combustível para queimar.

“Acho que esta posição fala muito mais forte do que um interesse específico da Petrobras”, disse.

O próximo passo do Governo da Bahia é se reunir com a direção da Petrobras para buscar um desfecho positivo para negociação.