Publicado em 09/01/2017 às 19h40.

Hospital da Mulher recebe pacientes a partir de sexta-feira

Unidade, que é a maior da região Nordeste, realiza as primeiras cirurgias a partir da próxima segunda-feira

Rebeca Bastos
Foto: Mateus Pereira/GOVBA
Foto: Mateus Pereira/GOVBA

 

Inaugurado na tarde desta segunda-feira (9) o Hospital da Mulher – oficialmente Maria Luzia Costa dos Santos, nome da mãe do governador Rui Costa –, receberá as suas primeiras pacientes a partir da sexta-feira (13) e as primeiras cirurgias acontecem apenas na próxima semana. Conforme o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas Boas, isso acontece porque os dois dias seguintes são voltados para procedimentos de limpeza e esterilização. “Na sexta [13], começamos a trazer mulheres que vão ficar internadas. Na segunda [16], o hospital abre completamente, todos os ambulatórios, centros cirúrgicos, UTI e enfermaria. Toda a entrada é via sistema de marcação do Estado”, disse.

Durante coletiva para imprensa, o chefe do Executivo baiano ressaltou a importância de uma unidade voltada para o atendimento de particularidades da saúde feminina. Na ocasião, o gestor também destacou o pioneirismo da instalação de um serviço voltado para o atendimento de mulheres vítimas de violência sexual. “Agora as mulheres vítimas de violência sexual vão fazer a perícia médica aqui, de forma discreta e com acolhimento”, descreveu. Outra novidade é o atendimento de reprodução assistida para casais com infertilidade.

Ainda de acordo com Vilas-Boas, o atendimento no Hospital da Mulher, que, segundo o governo, é a maior unidade especializada no atendimento à saúde da mulher do Norte-Nordeste, será feito por indicação da regulação estadual, o que impede, portanto, a marcação de consulta na própria unidade.

Atendimento – Com um investimento de R$ 40 milhões entre obras e equipamentos, o complexo passa a ser um centro de referência estadual e conta com dez salas cirúrgicas e 136 leitos, 97 deles destinados à internação, dez de UTI e 29 para o segmento hospital-dia. O centro médico tem capacidade de realizar 9 mil consultas mensais, além de mil procedimentos cirúrgicos.

As áreas de oncologia, ginecologia e mastologia também são atendidas no Hospital da Mulher, que conta ainda com um serviço de urgência e emergência ginecológica, com funcionamento 24 horas. A manutenção da unidade vai custar cerca de R$ 4 milhões mensais, recurso que será gerido por uma organização social.

PUBLICIDADE