Publicado em 07/06/2019 às 20h40.

SEI divulga Índice de Confiança do Empresariado Baiano em maio

Depois de apresentar alta em abril, a confiança se deteriorou em maio

Redação
Foto: Marcos Santos/Fotos Públicas
Foto: Marcos Santos/Fotos Públicas

 

O Indicador de Confiança do Empresariado Baiano (ICEB), índice que avalia as expectativas do setor produtivo do estado, apresentou em maio um quadro de menor confiança comparativamente ao observado no mês anterior.

Depois de apresentar alta em abril, a confiança se deteriorou em maio. Com o recuo mais recente, as expectativas voltaram a apontar pessimismo no meio empresarial baiano após um mês. Trata-se do menor nível do ano – isso depois de registrar em janeiro o mais alto grau de confiança desde novembro de 2012.

Numa escala que pode variar de -1.000 a 1.000 pontos, o ICEB marcou -88 pontos, piora de 95 pontos em relação ao registrado em abril (sete pontos) – reposicionando a confiança num patamar semelhante ao de setembro passado. A expectativa geral do empresariado baiano, assim, reingressou na zona de Pessimismo Moderado.

A piora observada no nível de confiança evidenciou o retrocesso nos indicadores de todas as quatro atividades. A Agropecuária exibiu o menor revés, de cinco pontos. Por outro lado, a Indústria despontou com a maior queda, de 137 pontos. Nos setores de Serviços e de Comércio, os recuos foram de 95 e 92 pontos, respectivamente.

Ao fim, em maio, a Agropecuária assinalou 143 pontos; a Indústria, -81 pontos; os Serviços, -134 pontos; e o Comércio, -51 pontos. O pessimismo, portanto, somente não prevaleceu na Agropecuária, setor de maior pontuação pela quarta vez seguida. Em compensação, a atividade de Serviços exibiu o menor nível de confiança entre os setores pelo sétimo mês seguido.

Do conjunto de itens avaliados, crédito, PIB estadual e PIB nacional apresentaram os indicadores de confiança em pior situação no mês. Em contrapartida, inflação, exportação e vendas foram aqueles com as melhores expectativas do empresariado baiano

PUBLICIDADE