Publicado em 15/11/2018 às 07h33.

Havia três pessoas no carro usado para matar Marielle Franco, aponta polícia

Até então, a polícia trabalhava com a hipótese de que seriam duas pessoas no carro dos criminosos.

Redação
Foto: Arquivo/ Guilherme Cunha/ Alerj
Foto: Arquivo/ Guilherme Cunha/ Alerj

A polícia concluiu que havia uma 3ª pessoa no carro de onde partiram os disparos contra a vereadora Marielle Franco (Psol) e seu motorista, Anderson Gomes, mortos a tiros em março no Rio de Janeiro, de acordo com informações do Jornal Nacional.

Até então, a polícia trabalhava com a hipótese de que seriam duas pessoas no carro dos criminosos. Novas imagens de uma câmera de segurança mostram 1 homem ao lado do motorista, no banco do carona.

Investigação

O inquérito não traz novas informações sobre o momento dos disparos. Também não há explicações sobre o motivo de as câmeras no local não estarem funcionando.

O carro usado era do modelo Cobalt, clonado. A polícia analisou o veículo e descobriu várias diferenças em relação às características do modelo original, da Chevrolet.

O inquérito, segundo informações da Globo, aponta que parte da munição utilizada no crime, calibre 9 milímetros, foi fabricada na Colômbia. Das 9 cápsulas encontradas, 8 são brasileiras e uma colombiana.

O documento mostra a rota percorrida pelo carro da vereadora no dia 14 de março desde a saída da Câmara Municipal, com a passagem pela Casa das Pretas onde ela participava de 1 evento, até o local do crime.

 

 

Temas: caso marielle