Publicado em 20/04/2019 às 14h00.

Militares presos por fuzilamento no Rio responderão por dois homicídios

A investigação foi encaminhada ao Ministério Público Militar (MPM), que apresentará denúncia à Justiça contra os nove militares presos

Redação
Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil
Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

 

Nove militares presos responderão pelos homicídios do músico Evaldo Rosa e do catador Luciano Macedo e pelas tentativas de homicídios contra os quatro familiares de Evaldo que estavam no carro fuzilado no último dia 7 de abril, em Guadalupe, Zona Norte do Rio de Janeiro.

Segundo informações do Extra, a investigação foi encaminhada ao Ministério Público Militar (MPM), que apresentará denúncia à Justiça.

O corpo de Luciano foi sepultado na sexta-feira (19). Baleado quanto tentava ajudar a família de Evaldo durante o fuzilamento, ele ficou 11 dias internado no Hospital Carlos Chagas.

O catador passava pelo local com a esposa Daiana, com um carrinho de mão, recolhendo material para construir um barraco.