Publicado em 16/09/2018 às 09h10.

PF apreende US$ 1,4 milhão em mala de filho de ditador africano

Além dos dólares, relógios de luxo avaliados em US$ 15 milhões foram encontrados com comitiva da Guiné-Equatorial em aeroporto de Campinas, São Paulo

Redação
Foto: Divulgação/PF
Foto: Divulgação/PF

 

A Polícia Federal e a Receita Federal apreenderam US$ 1,4 milhão e 20 relógios de luxo avaliados em US$ 15 milhões com membros de uma comitiva da Guiné Equatorial, que chegou ao Brasil nesta sexta-feira (14), no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, São Paulo. Outros R$ 55 mil também foram encontrados nas malas.

O secretário da embaixada da Guiné Equatorial afirmou que o valor pertencia ao vice-presidente do país, Teodoro Obian Miang, filho do ditador Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, que estava no voo e veio ao Brasil para um tratamento médico. O dinheiro seria utilizado em uma missão em Singapura. De acordo com o secretário, os relógios eram de uso pessoal de Teodoro Obian.

Em missões oficiais, os países têm direito a levar malas diplomáticas, com documentos e objetos de uso pessoal do local de origem, e que não podem ser fiscalizadas. Segundo o G1,os representantes da Guiné Equatorial levaram 19 malas não diplomáticas, que não são protegidas por esse direito.

Os membros da comitiva tentaram impedir os agentes da Polícia Federal de revistar as malas, o que gerou uma confusão no aeroporto. Alguns precisaram prestar esclarecimento às autoridades brasileiras, mas o vice-presidente foi liberado.

O ditador Teodoro Obiang Nguema está há 38 anos no poder. Ele esteve no Brasil em 2015, quando a escola de samba Beija Flor, do Rio de Janeiro, fez um desfile em homenagem à Guiné Equatorial.