Publicado em 11/02/2019 às 14h09.

Políticos e personalidades lamentam morte de Boechat

Jornalista estava em um helicóptero que caiu na Rodovia Anhanguera e bateu na parte dianteira de um caminhão que transitava pela via

Redação
boechat reproducao youtube
Foto: Reprodução / YouTube

 

Políticos e personalidades lamentaram a morte do jornalista Ricardo Boechat, nesta segunda-feira (11), aos 66 anos, em São Paulo.

Ele estava em um helicóptero que caiu na Rodovia Anhanguera e bateu na parte dianteira de um caminhão que transitava pela via.

Jair Bolsonaro (PSL-RJ), presidente da República: “A Presidência da República expressa seu pesar e condolências em razão do falecimento do jornalista Ricardo Boechat, vitimado em um acidente aéreo, neste dia. O País perde um dos principais profissionais da imprensa brasileira. Sentiremos a falta de seu destacado trabalho na informação da população, tendo exercido sua atividade por mais de quatro décadas com dedicação e zelo”, em nota oficial.

“É com pesar que recebo a triste notícia do falecimento do jornalista Ricardo Boechat, que estava no helicóptero que caiu hoje em SP. Minha solidariedade à família do profissional e colega que sempre tive muito respeito, bem como do piloto. Que Deus console a todos”, via Twitter.

Hamilton Mourão (PRTB-RS), vice-presidente da República: “Manifesto meus sentimentos às famílias de #RicardoBoechat e do piloto do helicóptero, aos profissionais da Rede Bandeirantes, rádio e televisão, extensivos à classe jornalística, pela triste notícia do acidente que os vitimou. Deus no comando”.

Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente do Senado: “Foi em estado de consternação e tristeza que recebi a notícia da morte inesperada do jornalista Ricardo Boechat. Era um profissional reconhecido pelo trabalho e senso crítico aguçado revelado nos principais meios de comunicação do país. Envio meu sentimento de solidariedade e apoio fraterno ao seus colegas de trabalho e a toda sua família. Tenho certeza que os brasileiros lamentam a morte desse argentino argentino que escolheu o Brasil como lar. Fica a saudade e o respeito pelo homem e jornalista que sempre demonstrou ser. Meu apoio fraterno também aos parentes e amigos dos demais ocupantes do helicóptero que fatalmente caiu em São Paulo”.

Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara: “Recebo com tristeza a informação sobre a trágica morte do jornalista Ricardo Boechat e outras duas pessoas. Boechat foi um dos grandes comunicadores do nosso país e uma referência de bom jornalismo e independência. Presto minha solidariedade a seus familiares e amigos”.

Rui Costa (PT-BA), governador da Bahia: “É com imenso pesar que recebo a notícia da morte do jornalista e radialista Ricardo Boechat, uma das mais importantes referências do jornalismo brasileiro da atualidade. A sua morte representa uma perda não apenas para a família e para os amigos, mas para toda a sociedade brasileira, em razão do relevante papel que exercia no jornalismo brasileiro e na defesa do Estado Democrático de Direito. Expresso, em meu nome e de todos os baianos, a mais profunda solidariedade a todos, sua família, amigos e companheiros de trabalho por essa perda inestimável”.

Nelson Leal (PP-BA), presidente da Assembleia Legislativa da Bahia: “A morte do jornalista e radialista Ricardo Boechat abre uma lacuna no jornalismo do país e vai privar os brasileiros dos coerentes comentários, no rádio e na TV, de um dos mais sensatos âncoras da televisão brasileira na atualidade”.

João Doria (PSDB-SP), governador de São Paulo: “Com o falecimento de Ricardo Boechat, o Brasil perde um dos maiores jornalistas da sua história. Sua atuação diária demonstrava sensibilidade em defesa do interesse público e do jornalismo de qualidade. Toda a solidariedade a seus familiares, amigos e colegas da Rede Bandeirantes”.

Wilson Witzel (PSC-RJ), governador do Rio de Janeiro: “Lamento profundamente a morte do jornalista Ricardo Boechat. Referência no jornalismo brasileiro, respeitado pela coragem e veemência na denúncia da má gestão pública e privada, Boechat com certeza deixará saudade em tantos ouvintes, telespectadores, leitores e admiradores”.

Onyx Lorenzoni (DEM-RS), ministro-chefe da Casa Civil: “Meus sentimentos à família e amigos de Ricardo Boechat”.

Marcelo Adnet, comediante: “Que tragédia a morte inesperada do grande jornalista, genial e incansável Ricardo Boechat. Que nós jornalistas nos inspiremos sempre nele, na sua luta e na sua voz sempre presente. Vai fazer muita falta”.

Vera Magalhães, jornalista: “Estou passada com essa notícia do Ricardo Boechat. Tive o privilégio de conhecê-lo pessoalmente há dois anos, num almoço delicioso e cheio de risadas com amigos queridos. Mas a admiração profissional era anterior e só se confirmou após o contato pessoal. Tô muito triste”.

Miriam Leitão, jornalista: “Meu querido amigo Ricardo Boechat. Não posso acreditar. Eu lhe devo tantos favores, tantas palavras generosas em momentos difíceis. Você foi pessoa linda, jornalista maravilhoso. Ai Boechat, tão cedo, tão cedo amigo”.

Padre Fábio de Melo: “A morte do Boechat nos empobre. É bem mais do que perder um jornalista brilhante. É perder uma consciência lúcida, iluminada, que sabia ver o Brasil sem partido, sem paixões. Morre com ele a coragem que a muitos encorajava diariamente”.

Walter Casagrande, comentarista: “Não acredito em mais uma tragédia, fiquei o fim de semana em casa, só a maior parte do tempo na cama de tanta tristeza que sentia. Hoje fui caminhar no Ibirapuera e absorvi só energias boas e aí me vem essa notícia do Ricardo Boechat, era um dos grandes jornalista do país”.