Publicado em 25/02/2017 às 17h26.

Comcar ameaça excluir banda: ‘Quer fazer manifestação? Saia na Mudança’

Presidente Pedro Costa prometeu enquadrar Baiana System por ferir o Código de Ética da entidade; punição pode ser proibição da banda no carnaval de 2018

Evilasio Junior
Foto: Enaldo Pinto/ Ag. Haack
Foto: Enaldo Pinto/ Ag. Haack

 

A manifestação política promovida pela banda Baiana System no circuito Osmar (Campo Grande), na noite de sexta-feira (24), pode render dissabores ao grupo liderado por Russo Passapusso.

Com uma pipoca lotada atrás do seu trio elétrico, o vocalista usou o microfone para entoar “machistas, fascistas, não passarão” e, na sequência, bradar “Fora Temer”, o que respondido de imediato pela multidão. A um custo de R$ 50 mil, a apresentação foi financiada pela Prefeitura de Salvador, comandada por ACM Neto (DEM), aliado do presidente da República.

De acordo com a reportagem do site Bocão News, o presidente do Conselho Municipal do Carnaval (Comcar), Pedro Costa, reagiu com indignação ao ato e ameaçou punir o conjunto no próximo ano. Segundo ele, o Código de Ética da entidade foi infringido.

“Já recebi notificações por conta das manifestações da banda e vamos aplicar o Código de Ética. Não é permitida manifestação política. Foi contra, mas poderia ser a favor. Quer fazer manifestação? Saia na Mudança do Garcia”, disparou.

Costa ainda declarou que irá avaliar a situação após a festa e ressaltou que a punição mais severa prevista é a exclusão da Baiana System da folia de 2018.

O bahia.ba tentou contato com os presidentes do Comcar e da Saltur, Isaac Edington, além do secretário municipal de Cultura e Turismo, Claudio Tinoco, mas não foi atendido.