Publicado em 26/02/2017 às 17h37.

Governador repudia Comcar e condena retaliação à Baiana System

"Vivemos em um país que tem liberdade democrática. Geralmente há muita polêmica nas opiniões. Daqui a pouco proíbem as pessoas de irem para a rua", disse Rui

João Brandão / Rodrigo Aguiar
Foto: Jonatas Anjos/ Ag. Haack/ bahia.ba
Foto: Jonatas Anjos/ Ag. Haack/ bahia.ba

 

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), repudiou a declaração do presidente do Conselho Municipal do Carnaval (Comcar), Pedro Costa, que ameaçou punir a banda Baiana System por ter feito manifestação política na última sexta-feira (24), durante o Furdunço, no Campo Grande. O alvo do protesto foi o presidente Michel Temer (PMDB), aliado do prefeito ACM Neto (DEM), embora o evento tivesse sido patrocinado pela gestão municipal, por R$ 50 mil. O democrata também defendeu a “liberdade de expressão” do grupo.

“Não acredito em retaliação. Vivemos em um país que tem liberdade democrática. Geralmente há muita polêmica nas opiniões. Ele [Russo Passapusso] tinha a opinião dele e foi acompanhado pela multidão. Daqui a pouco proíbem as pessoas de irem para a rua, pois quem cantou foi a multidão. A Bahia não é conhecida por retaliação a artistas que emitem sua opinião. Na hora que escolho o artista para apoiar, não pergunto em quem a pessoa vota, em quem votou e vai votar”, afirmou.

O chefe do Executivo estadual também disse ser contra qualquer veto a participações de artistas de outros locais no Carnaval de Salvador, como sugeriu o guitarrista Armandinho Macedo.

“Não gosto desse modelo de que artista não pode tocar em outro estado. Isso é provincianismo. Não podemos praticar aquilo que não gostaríamos que fizessem com a gente”, opinou.