Publicado em 12/03/2017 às 14h00.

Presidente da Associação de Blocos quer mais atenção da prefeitura

O presidente da Saltur, Isaac Edington, defende que gestão buscou e equilíbrio e sugere: "Talvez precisem melhorar seus produtos"

Redação

O sucesso do carnaval sem cordas este foi exaltado por todos e até gerou disputa entre a prefeitura e o governo para ver quem incentiva mais atrações independentes. Contudo, nem todo mundo está satisfeito com a predominância desse novo formato. Em entrevista ao jornal A Tarde deste domingo (12), a dona do Bloco Fissura e presidente da Associação de Blocos Alternativos da Barra, Márcia Mamede, reclamou dos poderes públicos que, segundo ela, estão prejudicando os blocos ao diminuir os desfiles deles.

“Se o poder público ajuda tanto os trios sem corda, podia incentivar o bloco”, sollicita ela. Márcia criticou também o espaço cedido aos patrocinadores na folia. Segundo ela, a Skol “já está aparecendo tanto que não vai ter interesse em outros anúncios”, mais uma vez descobrindo os blocos. O presidente da Saltur, Isaac Edington, no entanto, defende a organização do Carnaval e lembra que tanto blocos como camarotes tiveram isenção de impostos como incentivo financeiro. Ele garantiu ainda que a prefeitura procura equilibrar as participações dos trios independentes e os blocos de corda. “Talvez os blocos e camarotes precisem melhorar seus produtos para atraírem as marcas”, opina.

PUBLICIDADE

Mais notícias