Publicado em 04/03/2017 às 09h10.

Vídeo que associa negros a ‘criaturas estranhas’ será investigado pela SSP

A gravação utiliza imagens do carnaval para fazer associações ilógicas entre foliões e "forças ocultas"

Redação

A Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) solicitou à Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) a apuração do vídeo hospedado no Youtube, no dia 24 de fevereiro, intitulado “Criaturas estranhas no Carnaval 2017”. O material foi publicado pelo canal Trump TV, referência ao presidente dos Estados Unidos conhecido por discursos segregacionistas, e reúne imagens da transmissão da TVE.

No vídeo, com duração de seis minutos, uma voz distorcida tacha negros como “demônios”. Quando o cantor Aloísio Menezes aparece na gravação e faz um sinal completamente trivial para a câmera, o narrador entende como “um recado, pode ser um demônio que está ali no comando da região”.

Em outros momentos, em que foliões dançam normalmente e exibem alegria, o locutor ataca novamente: “Olha esse humano, ele está apoderado de alguma força oculta. Como você pode olhar nos colares” (utilizados por Filhos de Gandhy, afoxé inspirado nos princípios de não violência e paz do líder indiano Mahatma Gandhi).

A titular da Sepromi, Fabya Reis, requer apoio na investigação sobre os responsáveis pelo teor racista do vídeo. “Informamos que seguiremos firmes no cumprimento da sua missão institucional de defesa da população negra baiana”, firmou.

PUBLICIDADE

Mais notícias