Publicado em 14/02/2018 às 15h30.

Agressor de folião na Graça é preso e confessa que bateu sem motivo

Edson Rodrigues, de 26 anos, foi preso em sua própria casa, no bairro de Capelinha de São Caetano. Ele explicou que quis descontar agressão sofrida por outrem

Redação
Foto: Reprodução Facebook
Foto: Reprodução Facebook

 

O chefe do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), José Bezerra Alves Junior, deu explicações, nesta quarta-feira (14), sobre o caso de agressão ao estudante de Engenharia Mecânica Kaique Moreira Abreu, de 22 anos, que está internado no Hospital Português em estado grave. De acordo com o delegado, três pessoas já foram identificadas como envolvidas no crime, e uma pessoa ainda é procurada. O agressor, Edson Rodrigues, de 26 anos, já foi preso.

“Os agressores foram identificados, apresentados na base do DHPP e estão sendo interrogados. O autor da agressão está sendo autuado em flagrante e delito pela prática inicial do crime de homicídio tentado. O outro adulto, pela prática de favorecimento pessoal ao agressor, ao auxiliar na fuga, e também por omissão de socorro. O adolescente está sendo encaminhado para a DAI [Delegacia para o Adolescente Infrator]”, disse.

E completou: “Três pessoas foram conduzidas, uma ainda está sendo procurada, mas também é um adolescente. Dessas três pessoas, duas são adultos e uma é adolescente. Mas vale lembrar que somente um realizou as agressões”.

Edson Rodrigues foi preso no bairro de Capelinha de São Caetano, em sua própria casa. Ele foi encontrado e identificado depois que o carro que usou para fugir do local do crime foi localizado. De acordo com a polícia, o agressor não ofereceu resistência e confessou o crime.

“De pronto, ao ser interrogado, [Edson] admitiu a prática dessas agressões e alegou em sua defesa que estaria no circuito de carnaval, onde também estava vendendo queijinho, e em certo momento se envolveu em uma discussão, uma briga, e teria sofrido uma agressão. E quando estava no caminho de retorno para casa, ele quis descontar em alguém, uma pessoa que passasse na frente ele iria revidar aquela agressão que tinha sofrido no circuito. Essa pessoa infelizmente foi o Kaique”, explicou o delegado.

Ele disse ainda que o Hospital Português informou que o estado de Kaique é gravíssimo, mas que a polícia ainda espera uma nota oficial da unidade de saúde.