Publicado em 10/02/2018 às 16h30.

Para secretário, aumento de blocos sem cordas diminuiu violência

Número de atendimentos nos postos de saúde da folia caiu drasticamente em relação aos de 2017

Redação
Divulgação/ Secretaria Municipal de Saúde
Divulgação/ Secretaria Municipal de Saúde

 

O boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) revelou uma redução significativa no número de atendimentos nos postos de saúde espalhados pelos circuitos. De acordo com os dados, o número caiu neste período de 1.471 para 1.030, redução de 14,2% em relação à 2017.

Para o secretário municipal de Saúde, José Antônio Rodrigues Alves, a queda é explicada a partir das ações de fiscalização feita pela Prefeitura, além do aumento do número de blocos sem cordas, que diminuiram os índices de violência.

“Nos blocos sem corda, existem menos atritos, seja com o corpo da Polícia ou até mesmo folião contra cordeiro. Isso além de democratizar mais a folia, fez com que houvesse uma  convivência mais pacífica nos circuitos e diminuiu os casos de agressão física. Isso também foi reforçado pela presença dos portais de revista nas principais entradas para os circuitos da festa, diminuindo o risco para o folião na rua, permitindo uma convivência mais pacífica, disciplinando o Carnaval”, afirmou.

O circuito Barra/Ondina (Dodô) realizou 727 atendimentos, o Campo grande (Osmar) teve 286 e o Batatinha (Pelourinho), 17.