Publicado em 22/03/2019 às 08h58.

Empiricus não tem autorização para fazer análises, diz CVM

Comissão informou que há um processo administrativo contra empresa, que também está na mira do Procon e da Conar pela publicidade de Betinna

Redação
Foto: Reprodução/Youtube
Foto: Reprodução/Youtube

 

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) comunicou que a Empiricus Research, em evidência desde a última semana, principalmente após publicidade com Betinna viralizar nas redes sociais, não tem autorização para prestar serviço de análise de valores mobiliários.

Por meio de comunicado divulgado na manhã desta sexta-feira (10), o órgão afirma que existe desde 2018 um processo administrativo que avalia as atividades da empresa. De acordo com o site InfoMoney, a comissão lembra que o Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) suspendeu a liminar que retirava a exigência de credenciamento da Empire para exercer a atividade e as multas aplicadas à empresa.

Em sua defesa, a Empiricus garante que levou as provas, “com base em documentos públicos”, para o processo judicial, para comprovar que “exerce” apenas” “atividade jornalística”. A empresa diz que “segue realizando pesquisa independente” para incentivar a “educação financeira” no país.

Foi a primeira vez que a CVM se pronunciou sobre a Empiricus desde o “caso Betinna”. A jovem, que é funcionária da empresa, diz que conseguiu elevar o patrimônio para R$ 1 milhão em 3 anos, depois de investir apenas R$ 1.500.

A Empiricus Research também segue na mira do Procon e da Conar, e precisa prestar esclarecimentos sobre a propaganda com Betinna. O Procon exige que a empresa apresente documentos que comprovem a “veracidade do que foi anunciado”, no caso a “evolução financeira” de Betinna.

PUBLICIDADE
Temas: betinna , CVM , empiricus , PROCON