Publicado em 18/03/2019 às 21h20.

Ibovespa bate 100 mil pontos, mas está distante do recorde em dólar

Expectativa, contudo, é de avanço com a reforma da Previdência e ambiente agradável no exterior

Redação
Foto: Reprodução/ EBC
Foto: Reprodução/ EBC

 

Principal indicador da bolsa paulista, o Ibovespa atingiu a marca simbólica dos 100 mil pontos nesta segunda-feira (18). Contudo, há ainda uma longa jornada para atingir seu recorde em dólar.

Na opinião de especialistas ouvidos pelo Valor Econômico, o rali, a partir de agora, vai ficando mais difícil, porque dependerá cada vez mais de um fluxo de notícias positivas, sobretudo na frente doméstica, para impulsionar os preços das ações.

A expectativa é que o andamento da reforma da Previdência e um ambiente minimamente positivo para emergentes no exterior deem seguimento a esse avanço. Segundo os principais bancos de investimentos e corretoras, o índice deve perseguir patamares mais altos, perto dos 120 mil pontos.

Balanço – Até o finalzinho da tarde, o Ibovespa operava em alta de 0,70%, aos 99.829 pontos, reduzindo parcialmente a alta registrada mais cedo, que colocou o índice na inédita marca de 100.038 pontos na máxima intradiária.

Em dólares, o recorde foi batido em 19 de maio de 2008, quando estava em 44.616 pontos na moeda americana (73.438 pontos em moeda local). Hoje, convertido pelo dólar PTax, o Ibovespa está em 26.211 pontos, ou seja, precisaria subir 70% para alcantar o pico observado há 11 anos.

De acordo com o Valor, a grande dificuldade de o Ibovespa retomar o patamar em dólar anterior é o nível do câmbio. Em 2008, os efeitos da crise financeira mundial interferiam na demanda pelos mercados desenvolvidos, e a crise fez com que a moeda americana perdesse valor para outras divisas.

PUBLICIDADE