Publicado em 18/05/2016 às 17h20.

Negociação de papéis da Eletrobras na bolsa de NY é suspensa

Estatal não entrega balanço fiscal referente a 2014 por conta de danos oriundos da operação Lava Jato.

Redação
Foto: Agência Estado
Foto: Agência Estado

 

A negociação de papéis e ações da estatal Eletrobras foi suspensa na bolsa de Nova York nesta quarta-feira (18), depois de a empresa comunicar que não entregaria o balanço fiscal auditado referente a 2014 às autoridades americanas. O impasse ocorre porque a empresa de auditoria responsável por aprovar o balanço financeiro da estatal, se recusou a assinar o documento por não ter mensurado os danos causados por irregularidades investigadas pela Operação Lava Jato.

A SEC, órgão regulador do mercado americano, havia limitado o prazo para a entrega do formulário 20-F para esta quarta-feira (18), mas a Eletrobras não cumpriu a determinação e agora entra no processo de “deslistagem” da bolsa. Em fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a estatal destaca que, relativamente ao Formulário 20-F do exercício social de 2014, não há possibilidade de nova extensão de o prazo a ser concedido pela Bolsa de Valores de Nova York (Nyse), de acordo com a Seção 802.01E do Manual de Empresa Listada no principal mercado financeiro americano.

“Em consequência, a Nyse deverá suspender a autorização para a negociação dos American Deposit Shares (ADS) emitidos pela companhia junto à Nyse (ticker EBR e EBR-B), nos próximos dias, enquanto inicia-se o processo de deslistagem”, informa a Eletrobras.

Recurso – Durante o Encontro Nacional de Agentes do Setor Elétrico (Enase), no Rio, o ministro de Minas e Energia, Fernando Bezerra Coelho Filho, afirmou que a Eletrobras deverá entrar com recurso para evitar a retirada de ações da bolsa. “A Eletrobras deve apresentar recurso na bolsa de Nova York e esse recurso deve levar de dois a três meses para julgamento. Nesse período faremos todo esforço possível para que investigação possa ser concluída e dê conforto para a auditoria independente assinar o balanço e, no recurso pleiteado, poder voltar com as negociações antes do processo de deslistamento (da bolsa)”, afirmou.

Com o prazo de 90 dias para julgamento do recurso, a previsão de Bezerra Filho é de que a empresa possa, no período, publicar o formulário e sanar as pendências com os órgãos reguladores norte-americanos. Os papéis da estatal recuaram mais de 6% na manhã desta quarta.