Publicado em 30/10/2016 às 19h39.

Presidente do PT diz que derrota em Vitória da Conquista foi ‘natural’

Partido dos Trabalhadores comanda município que representa terceiro maior colégio eleitoral da Bahia há 20 anos

Rodrigo Aguiar
Foto: Roberto Viana/ bahia.ba
Foto: Roberto Viana/ bahia.ba

 

Há 20 anos no poder em Vitória da Conquista, o PT não comandará mais o município do sudoeste baiano a partir do próximo ano, com a eleição de Herzem Gusmão (PMDB) para a prefeitura.

Para o presidente estadual do PT, Everaldo Anunciação, o resultado das urnas é “natural”. “Acho que há um processo natural. Após cinco eleições consecutivas, a população quer alternância. Além disso, os ataques da grande mídia [ao partido] tem um peso nas eleições”, afirmou o petista ao bahia.ba.

Questionado sobre a derrota no município, que representa o terceiro maior colégio eleitoral da Bahia – com 230,6 mil eleitores – e os impactos que isso pode ter para a disputa pelo governo em 2018, Everaldo opinou que é preciso “entender e dialogar” com o setor que, de acordo com ele, representa a “rejeição da política”: a tendência nacional de grandes abstenções. “Eu diria que o quadro tem que ser analisado pelo número alto de brancos, nulos e abstenções. Isso pode fazer diferença nas eleições”, declarou o dirigente.

Cerca de 23% do eleitorado conquistense se absteve na disputa do segundo turno, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral. Dos votantes, houve 4,8% de brancos e 1,9% de brancos.