Publicado em 18/10/2018 às 19h00.

Em ação no TSE, PT pede que Bolsonaro fique inelegível por oito anos

Ação também pede quebra de sigilo de empresas e busca e apreensão em casa de empresário

Redação
Foto: Renato Araújo/ Agência Brasil
Foto: Renato Araújo/ Agência Brasil

 

O Partido dos Trabalhadores (PT) pediu, em ação impetrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) fique inelegível pelos próximos oito anos, por conta da suspeita de ser beneficiado com um esquema ilegal bancado por empresários para disseminação de notícias pelo Whats App, denunciado por reportagem da Folha. 

A ação também pede quebra de sigilo bancário, telefônico e telemático do empresário Luciano Hang e das empresas Quickmobile, a Yacows, Croc Services e SMS Market, citadas pela reportagem. O documento ainda requer que seja decretada a busca e apreensão de documentos na sede de empresa Havan e na casa do empresário Luciano Hang.

A medida ainda pede à Justiça que seja determinado ao Whatsapp que apresente, no prazo de 24 horas, plano de contingência capaz de suspender o disparo em
massa de mensagens ofensivas a Fernando Haddad e aos partidos da coligação, sob pena de suspensão de todos os serviços do aplicativo até cumprimento da
determinação.

Conforme a matéria, o investimento ilegal chegaria a R$ 12 milhões. O PDT, que disputou o primeiro turno com o candidato Ciro Gomes, também entrou com ação no TSE após a reportagem, mas pedindo a nulidade do pleito.

 

 

Mais notícias