Publicado em 12/10/2018 às 13h40.

Haddad diz que ministro da Fazenda será economista ou empresário, não banqueiro

Segundo ele, o perfil que pretende para o ocupante do cargo é o de alguém comprometido com a geração de empregos e a preservação de direitos sociais

Redação
Foto: Reprodução/TV Globo
Foto: Reprodução/TV Globo

 

O candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, afirmou nesta quinta-feira (11) que, se eleito, o ministro da Fazenda não será um banqueiro, mas um economista ou um empresário.

Segundo ele, o perfil que pretende para o ocupante do cargo é o de alguém comprometido com a geração de empregos e a preservação de direitos sociais.
“O nosso ministro da Fazenda vai ser um economista ou um empresário. Você citou um que é um grande nome [Josué Gomes, presidente da Coteminas], foi cotado para vice-presidente na nossa chapa. Então, tem todas as condições e perfil e sensibilidade social. Ou seja, geração de empregos e não cortar direitos sociais. Esse é o perfil que eu vejo. Eu posso te adiantar que o ministro da Fazenda não será um banqueiro”, declarou em entrevista à rádio CBN, nesta sexta-feira (12).

Na oportunidade, o petista também criticou o economista da campanha de Jair Bolsonaro, Paulo Guedes, anunciado pelo adversário como futuro ministro de uma pasta que reunirá Fazenda e Planejamento.

“Eu não quero um banqueiro no Ministério da Fazenda como o Paulo Guedes. O Paulo Guedes especulou a vida inteira no sistema financeiro, no mercado financeiro. Ele não entende de geração de emprego. Ele entende de juro. Ele entende de ganhar dinheiro especulando”, ressaltou.

Mais notícias