Publicado em 14/09/2018 às 17h25.

Neto vê crescimento de Bolsonaro em pesquisas como ‘comoção’ por atentado

Em entrevista ao bahia.ba, o democrata compara a comoção com o acidente que vitimou Eduardo Campos nas eleições de 2014, deixando Marina Silva no topo das pesquisas

Rayllanna Lima / Rodrigo Aguiar
Foto: Mateus Soares/ bahia.ba
Foto: Mateus Soares/ bahia.ba

 

Prefeito de Salvador e presidente nacional do DEM, ACM Neto define o crescimento do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) nas pesquisas de intenções de voto como algo “artificial”, provocado por uma “comoção” devido ao atendado a faca sofrido pelo candidato na última semana.

Em entrevista ao bahia.ba durante a tarde desta sexta-feira (14), o democrata comparou o acontecimento com o que ocorreu nas eleições presidenciais de 2014, quando o candidato Eduardo Campos (PSB) morreu em um acidente aéreo, projetando sua vice, Marina Silva (Rede), para a liderança das pesquisas.

“Existe um quadro artificial em função de uma comoção em torno do que ocorreu com ele [Bolsonaro]. A quatro anos atrás, quando houve a baita fatalidade do acidente aéreo de Eduardo Campos, Marina chegou a ter mais de 40% e ficou em primeiro lugar. Ela acabou em terceiro. Aécio estava completamente fora do jogo, mas chegou no segundo turno e quase ganhou a eleição”, lembrou.

Mais notícias