Publicado em 30/10/2018 às 06h49.

Partido de Bolsonaro envia hackers para acompanhar apuração no TSE

Conforme a PF, os “consultores” utilizam as redes sociais para criticar às urnas eletrônicas e colocar em xeque a legitimidade do sistema eleitoral brasileiro

Redação
Foto: Reprodução/ Twitter/ Arquivo Pessoal
Foto: Reprodução/ Twitter/ Arquivo Pessoal

 

A apuração das eleições presidenciais na noite de domingo (28) na sede do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi acompanhada por cinco representantes do PSL, partido do presidente eleito Jair Bolsonaro.

Segundo a coluna Painel, do jornal Folha de S.Paulo, policiais federais identificaram que quatro deles eram especialistas em Tecnologia da Informação (TI) e estiveram atentos à totalização dos votos na sala-cofre da Corte.

Conforme os agentes, os “consultores” enviados utilizam as redes sociais para criticar às urnas eletrônicas e colocar em xeque a legitimidade do sistema eleitoral brasileiro, mesmo posicionamento do capitão da reserva que chega ao poder por meio do voto eletrônico.