Publicado em 02/08/2018 às 06h52.

PSB e PT fecham pacto de isolamento de Ciro na corrida ao Planalto

O acordo tem o aval da CNB (Construindo um Novo Brasil), maior corrente petista dirigida pelo ex-presidente Lula, e provocou revolta entre integrantes dos dois partidos

Redação
Foto: André Carvalho/ CNI
Foto: André Carvalho/ CNI

 

Uma reunião entre as direções nacionais de PT e PSB realizada nesta quarta-feira (1º) decidiu pelo sacrifício de candidaturas estaduais que encerra as possibilidades de alianças com o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) na corrida ao Palácio do Planalto.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, a partir deste acordo o PSB, que não emplacou candidato à Presidência da República, vai anunciar neutralidade no pleito e colocar uma pedra nas negociações com o PDT.

Por outro lado, os socialistas serão apoiados pelos petistas nas eleições ao governo de Pernambuco: a candidatura da vereadora Marília Arraes será retirada e o apoio à reeleição de Paulo Câmara (PSB) está garantido.

Em Minas, Fernando Pimentel (PT) também tentará a reeleição com o apoio do PSB que abriu mão da candidatura do ex-prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda.

Mas as negociações estão longe de um consenso. Lacerda já enviou recado à direção do PSB e se recusa a ocupar vaga ao Senado na chapa de Pimentel. Já Arraes avisa que recorrerá às instâncias superiores da sigla e não desistirá da campanha.

Ainda de acordo com a Folha, o acordo tem o aval da CNB (Construindo um Novo Brasil), maior corrente petista dirigida pelo ex-presidente Lula.

PUBLICIDADE

Mais notícias