Publicado em 15/10/2018 às 19h00.

Wagner tem esperança de apoio contundente de Ciro: ‘Não vou jogar a toalha’

Ele também admitiu que defendeu acordo do PT com candidato do PDT, como estratégia da esquerda para a corrida presidencial

Redação
Foto: João Ramos/ Divulgação
Foto: João Ramos/ Divulgação

 

O ex-governador baiano e senador eleito Jaques Wagner (PT) disse, em entrevista à Folha, que ainda tem esperança de uma declaração de apoio mais contundente de Ciro Gomes (PDT), cuja legenda declarou “apoio crítico” à candidatura de Fernando Haddad (PT).

“Não vou jogar a toalha. Ele pode enviar um live de onde ele estiver”, disse o ex-governador, em referência ao fato de Ciro estar na Europa. “Alguém me disse que ele voltaria antes e anunciaria o apoio mais contundente”, acrescentou.

O ex-governador ainda admitiu que a melhor estratégia para uma vitória da esquerda na corrida presidencial seria o lançamento de Ciro Gomes (PDT) ao Palácio do Planalto, embora tenha tratado o assunto com superado. Ele ressaltou sempre ter defendido um acordo com Ciro, sob o argumento de que a campanha de Jair Bolsonaro se resume ao ataque ao PT.

“O que eles têm a dizer? É anti-PT. É anti-PT”, justificou.

Embora reconheça que o PT está estigmatizado, segundo suas próprias palavras, Wagner  ainda tem esperança de que o medo de Bolsonaro derrube resistências a Haddad no segundo turno. “Se as pessoas tiverem mais medo dele do que raiva do PT, podem votar no Haddad. Não precisa amar o PT”.

Mais notícias