Publicado em 11/03/2019 às 16h40.

Anitta é acusada de racismo após denunciar suposto roubo em bloco

Os internautas criticaram a funkeira por acreditarem que a cor do rapaz teria influenciado no pedido de prisão feito pela artista

Redação
Foto: Instagram/ Arquivo Pessoal
Foto: Instagram/ Arquivo Pessoal

 

Mais uma polêmica envolvendo o Carnaval de Anitta. Desta vez a funkeira passou a ser acusada de racismo após denunciar um suposto roubo no Bloco das Poderosas, no Rio de Janeiro.

Do alto do trio elétrico a cantora alertou os policiais de que teria visto um rapaz roubando os celulares do público e pediu para que o suposto meliante fosse retirado do seu Bloco.

“Alô, polícia. Tem um ladrãozinho aqui no meio. O último que veio aqui para roubar se lascou. Nasci pobre, estou aqui ralando. Ninguém precisa tirar nada de ninguém! Eu também não tinha condições de ter minhas coisas e nem por isso ia pegando as de ninguém. Não importa se a gente nasceu…infelizmente se a gente não teve as mesmas oportunidades. A gente tem que ralar mais? Tem! Mas isso não quer dizer que a gente tem que pegar o que é dos outros”.

Horas depois, durante o depoimento do jovem na 5ª DP de Mem de Sá, os policiais perceberam que haviam cometido um equívoco e liberaram o rapaz.

Enquanto alguns internautas acusavam a artista de racismo por acreditar que a cor da pele do rapaz teria sido o motivo principal para Anitta ter pedido a prisão dele, uma seguidora fez questão de relatar seu ponto de vista e sair em defesa da funkeira.

Para Lola Ferreira, que estava no Bloco quando aconteceu a situação, Anitta não apontou culpados, apenas alertou a polícia de que alguém estava roubando os foliões. “Não foi Anitta que acusou o menino de roubo primeiramente, foram foliões que estavam no limite da corda. Quando ele se deu conta do que estava acontecendo, já havia passado pelo menos dois minutos dele rendido pelos seguranças”.


Visualizar esta foto no Instagram.

Uma publicação compartilhada por feminismo ♀ (@feminiismo) em

PUBLICIDADE