Publicado em 07/12/2017 às 11h01.

‘Comecei fazendo sambão, não reggae’, revela Edson Gomes

Referência máxima do reggae nacional, o artista disse que músicas como "Árvore", "Malandrinha" e outros clássicos nasceram com acompanhamento de samba

James Martins
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

Edson Gomes, referência máxima no reggae nacional, revelou que seu começo na música não foi dedicado ao gênero jamaicano, mas a um ritmo bem brasileiro: o samba. Ou melhor: o sambão! “Eu já fazia música sem ter a definição rítmica, de estilo. Na verdade, eu comecei com o sambão, porém o canto, as letras, já eram de protesto”, disse ele, em entrevista à Rádio Metrópole transmitida nesta quarta-feira (6).

Compositor de verdadeiros clássicos, o artista, que lançou seu primeiro álbum, “Reggae Resistência”, em 1988, disse ainda que diversas dessas músicas hoje muito famosas foram feitas naquela época seminal em Cachoeira-São Félix: “Por exemplo, ‘Árvore’, ‘Guerra’ são dessa época. ‘Malandrinha’, ‘Na Sombra da Noite’, ‘Ana Maria’… Então, várias músicas que fazíamos aqui com cunho social eram chamadas de sambão. Então nós somos pioneiros”.

O pioneirismo reivindicado na fala de Edson refere-se à temática, à linha canção-de-protesto. Porém, dada a mistura anunciada, pode-se aproveitar a declaração do artista para sondar um pioneirismo em outra área: rítmica.

Isso porque, ao comentar a polêmica afirmação de Carlinhos Brown, de que o “samba-reggae não nasceu no Olodum, nasceu no Muzenza”, o músico João Teoria aventou que o gênero atribuído a Neguinho do Samba na verdade nasceu em Cachoeira. Seria em uma dessas experiências primeiras de Edson Gomes?

PUBLICIDADE

Mais notícias