Publicado em 19/05/2017 às 08h59.

Debaixo de vaias, Netflix estreia em Cannes nesta sexta

Na abertura do festival, Pedro Almodóvar declarou que “serviços streaming não podem substituir as salas de cinema”

Redação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

A estreia da Netflix em Cannes, nesta sexta-feira (19), foi tumultuada: com direito a vaias e problemas técnicos que atrasaram a exibição de “Okja” em mais de 15 minutos. O climão parece feito sob encomenda para ilustrar a grande polêmica do festival, já que a empresa de streaming, que participa com dois filmes, já disse que, na maioria dos países, suas produções irão direto para a plataforma, sem passar pelos cinemas.

O presidente do júri este ano, o cineasta espanhol Pedro Almodóvar, declarou já na abertura: “Enquanto eu for vivo, lutarei pela capacidade de hipnose da tela grande. Pessoalmente, não imagino dar a Palma de Ouro a um filme que não poderá ser visto nas salas de cinema”.

Na sessão desta sexta, coube à atriz Tilda Swinton, a tarefa de botar panos quentes. “Há espaço para todos na festa”, disse ela, em resposta ao diretor. Ela completou: “O manifesto [lido pelo espanhol] é importante. Mas nós não viemos a Cannes pelos prêmios. Há outras dezenas de filmes exibidos aqui que jamais serão exibidos nas salas por problemas de distribuição”.

Após corrigido o defeito que fazia a imagem ultrapassar a tela grande, parte do público vaiou quando apareceu o logotipo da Netflix.

PUBLICIDADE

Mais notícias