Publicado em 19/07/2018 às 20h40.

Marca australiana anuncia que não vai mais trabalhar com modelos brancas

“Quero explorar a noção do ‘poder branco’ na moda e porque tantas pessoas estão perpetuando esse conceito, conscientemente ou não" disse o fundador da marca

Luiza Lopes
Foto: Reprodução/Divulgação
Foto: Reprodução/Divulgação

 

A marca australiana especializada em lenços de cabeça e xales, MOGA, é conhecida em seu país como uma grife comprometida com questões sociais, tanto que um dos seus itens mais vendidos é um tecido com as cores da bandeira do arco-íris, feito em comemoração da legalização do casamento homoafetivo na Austrália.
E agora, a empresa tomou uma decisão impactante: ela não vai mais contratar modelos brancas para as suas campanhas. “Fiz esta regra para ser o ponto inicial de um debate que acho muito importante: a raça e a sua representação na indústria da moda”, explicou Azahn Munas, fundador da marca, em entrevista para a revista Teen Vogue.

“Quero explorar a noção do ‘poder branco’ na moda e porque tantas pessoas estão perpetuando esse conceito, conscientemente ou não. Embora ela seja excludente à primeira vista, é em nome da inclusão. Queremos alcançar pessoas que não são representadas na indústria.” finalizou ele.