Publicado em 10/08/2018 às 19h40.

SBT nega racismo em novela infantil: ‘Uma obra para entreter e não polemizar’

Trama 'As Aventuras de Poliana' foi acusada de promover um diálogo racista em uma cena com uma criança

Redação
Reprodução: SBT
Reprodução: SBT

 

Quem diria que a novela infantil ‘As Aventuras de Poliana’, do SBT, iria gerar problematização nas redes sociais. Mas gerou e a emissora precisou vir a público esclarecer a polêmica envolvendo a promoção de um diálogo racista na trama.

Através de nota enviada ao site ‘Purepeople’, a emissora de Silvio Santos afirmou que a conversa entre duas personagens da novela era uma tentativa de promover uma luta contra o preconceito racial e não a favor.

A novela tem o papel de debater questões sociais como o enfrentamento ao racismo, citando vários exemplos. Prova disso, no capítulo 60, no ar nesta terça-feira, houve a cena onde o texto exalta que o racismo é coisa de gente ignorante. E no capítulo 61, ainda no mesmo contexto que foi ao ar ontem, a coordenadora do colégio quis convencer a menina que aquele estereótipo de que o negro é sempre culpado à primeira vista não pode prevalecer, mostrando-a uma nova perspectiva. Se instalou uma polêmica que não existe. A novela é uma obra de ficção para entreter e não polemizar“.

Para quem não entendeu a polêmica, o debate teve início logo após a cena com a personagem Kessya, (Duda Pimenta) ser acusada de quebrar e roubar uma parte de uma escultura exposta no colégio. A garota afirma que só foi cogitada como uma das culpadas por ser negra e bolsita e então a coordenadora, Helô (Eliana de Souza), afirma que ela precisa parar de enxergar as coisas de forma diferente para que os outros façam o mesmo.

“Kessya, sabe qual é um dos maiores culpados do preconceito? A nossa cabeça! Para que os outros parem de ver a nós, negros, como diferentes, nós precisamos parar de nos ver como diferentes, como piores ou melhores do que determinada raça”, declarou a coordenadora na sua frase.