Publicado em 10/04/2017 às 16h37.

‘Sempre vou ser chicleteiro, mas é página virada’, diz Bell

Ex-vocalista do Chiclete com Banana admitiu sentir falta da banda nas ruas, mas classificou como “impossível” retorno ao grupo que impulsionou sua carreira

Evilasio Junior / Rodrigo Aguiar
Foto: Rodrigo Aguiar/ bahia.ba
Foto: Rodrigo Aguiar/ bahia.ba

 

Para frustração dos fãs, que viram na declaração de saudade durante o Carnaval de Salvador 2017 um aceno para a volta de Bell Marques ao Chiclete com Banana, o cantor descartou peremptoriamente um retorno à banda.

Em entrevista exclusiva ao bahia.ba, nesta segunda-feira (10), após o lançamento do projeto “Forró Solidário”, liderado pelas Voluntárias Sociais para captar recursos ao Hospital Aristides Maltez, o vocalista esclareceu o significado da sua fala sobre o trio elétrico.

“Eu falei que eu sentia falta do Chiclete na rua. Eu acho que a população também sente falta do Chiclete com Banana nas ruas de Salvador”, afirmou.

Perguntado pela reportagem se o seu sentimento diante do grupo que impulsionou a sua carreira era de que “uma andorinha só não faz verão” ou “foi lindo, ficou para trás”, Bell não hesitou: “Não é ‘ficou para trás’. É uma página virada na minha vida. A chance [de voltar] é impossível. Eu sempre vou ser chicleteiro. Foi um projeto que eu criei e sempre adorei. Lá dentro tem pessoas que eu adoro, que eu amo”, definiu.

Bell deixou o Chiclete em 2014, após desentendimentos sobre os negócios do grupo com os próprios irmãos e ex-sócios: Wadinho (tecladista) e Wilson (engenheiro de som).

PUBLICIDADE

Mais notícias