Publicado em 13/02/2019 às 17h06.

Vídeo mostra Fábio Assunção em possível recaída

O ator global foi filmado sendo posto para fora de um supermercado bastante alterado

Redação
Foto: Twitter
Foto: Twitter

 

Ao que tudo indica Fábio Assunção pode ter tido uma recaída em seu vício com o álcool. Um vídeo que passou a circular nas redes sociais nesta quarta-feira (13), mostra o ator global bastante alterado em um supermercado.

Na ocasião um funcionário do estabelecimento pede para que o artista se retire do local por estar fumando dentro do espaço proibido. Não é possível compreender o que o ator fala na gravação por sua voz estar embolada.

Fábio ainda se direciona a fila de um caixa e tenta chamar o gerente do mercado. Sem sucesso ele sai do local resmungando após pedidos do funcionário. Apesar da repercussão do vídeo nas redes sociais, não se sabe qual a data da gravação.

Também nesta quarta-feira (13), a jornalista Fabíola Reipert, do quadro A Hora da Venenosa, na TV Record, afirmou que Fábio teria discutido com a dona de um bar em São Paulo, após beber demais, mais precisamente 12 doses de cachaça.

A confusão teria sido causada, segundo a jornalista, após Fábio ter suspeitado que estava sendo filmado por outros clientes do local. Em contato com Fabíola, Lilian Gonçalves, dona do estabelecimento, afirmou que precisou da intervenção dos seguranças do local.

Polêmica envolvendo a música Modo Fábio Assunção

Em janeiro deste ano Fábio Assunção surpreendeu com sua reação ao sucesso da música de mesmo nome cantada pela banda baiana La Fúria com participação do rapper Bartz. “Jamais me passou pela cabeça censurar a  arte do autor que compôs a música. Mesmo quando eu percebi a grandiosidade da música. Nós somos artistas e eu torço muito para que vocês conquistem muitos fãs”, disse o ator em um vídeo publicado nas redes sociais.

O artista revelou que não tinha intenção de falar sobre o caso, mas após o acordo se sentiu a vontade para comentar a música e reforçou o discurso de não ser a favor da glamourização dos dependentes químicos. “Antes de qualquer coisa eu preciso falar com as pessoas que passam pelo mesmo problema que eu. Eu não endosso, de maneira nenhuma, essa glamourização ou “zueira” com a nossa dor. Minha preocupação é com quem sente na pele a dor de ser quem é”, afirmou.

O acordo firmado entre Fábio e os intérpretes da canção foi de que todo valor arrecadado com a música será doado para instituições que ajudem as pessoas com dependência.  “15% das pessoas do mundo tem problemas de adicção. É muita gente sofrendo por não conseguir controlar suas compulsões […]  Foi pensando nisso que eu, minha equipe de comunicação e o corpo jurídico que me atende, decidimos entrar em contato com os meninos e tornar essa história um ato propositivo de ajuda a quem precisa e de conscientização de quem pode ainda acreditar ser um super herói. 100% dos valores arrecadados com a música serão doados para as instituições A e B”.

PUBLICIDADE