Publicado em 14/11/2017 às 18h25.

Executivo denuncia esquema de propinas em direitos de TV

Segundo Alejandro Burzaco, ex-presidente de empresa que negociava direitos de transmissão, propina foi paga para Marin, Teixeira e Del Nero pela Rede Globo

Redação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

O empresário argentino Alejandro Buzarco, ex-presidente de uma empresa que negociava direitos de transmissões de competições internacionais, afirmou nesta terça-feira (11) que a Rede Globo pagou propinas para vencer a concorrência por direitos de competições como a Copa América.

A denúncia foi feita durante depoimento no julgamento do ex-presidente da CBF, José Maria Marin. Buzarco disse ainda que os ex-presidentes da CBF, Marin e Ricardo Teixeira, além do atual Marco Polo del  Nero, também receberam dinheiro ilícito nas negociações.

Burzaco, que já se declarou culpado no processo que investiga o escândalo da Fifa, era responsável por negociar jogos ligados à Conmebol.

Defesa – Em nota, a Rede Globo negou o envolvimento com qualquer ato ilícito e condenou as declarações de Buzarco. Confira a íntegra:

“Sobre depoimento ocorrido em Nova York, no julgamento do caso Fifa pela Justiça dos Estados Unidos, o Grupo Globo afirma veementemente que não pratica nem tolera qualquer pagamento de propina’’, diz o texto. “Esclarece que após mais de dois anos de investigação não é parte nos processos que correm na Justiça americana. Em suas amplas investigações internas, apurou que jamais realizou pagamentos que não os previstos nos contratos. Por outro lado, o Grupo Globo se colocará plenamente à disposição das autoridades americanas para que tudo seja esclarecido. Para a Globo, isso é uma questão de honra. Não seria diferente, mas é fundamental garantir aos leitores, ouvintes e espectadores do Grupo Globo que o noticiário a respeito será divulgado com a transparência que o jornalismo exige.”