Publicado em 14/10/2018 às 18h50.

Momento e histórico dão favoritismo a Djokovic na disputa pelo número 1

Ele já ganhou 4 vezes cada um desses torneios, disputados em quadras fechadas e rápidas, enquanto Nadal nunca triunfou em nenhum deles

Redação
Novak Djokovic (Foto: Reprodução Wikipedia)
Foto: Reprodução/Wikipedia

 

Depois de conquistar neste domingo (14) o título no Masters 1.000 de Xangai, derrotando o croata Borna Coric, Novak Djokovic colou em Rafael Nadal (7.660 contra 7.445), líder do ranking, e tornou-se o grande favorito para terminar a temporada na primeira posição.

Faltam dois grandes torneios: o Masters 1.000 de Paris, a partir de 29 de outubro, e o ATP Finals, em Londres, que fecha o ano a partir de 11 de novembro.

Segundo a Folha, são 2.500 pontos em jogo para o sérvio, que não estava em ação nesta época de 2017, e 2.320 para o espanhol, que fez quartas de final em Paris no ano passado e não pontuou no Finals.

O momento e o histórico dão o favoritismo a Djokovic. Ele já ganhou quatro vezes cada um desses torneios, disputados em quadras fechadas e rápidas, enquanto Nadal nunca triunfou em nenhum deles. O sérvio venceu os últimos dois Slams e está invicto há 18 partidas.

Já o espanhol abandonou a semifinal do Aberto dos EUA contra Juan Martín Del Potro por causa de lesão no joelho e não jogou desde então. Seu retorno será em Paris, em condições de jogo que estão longe de ser as suas preferidas.

É por esses motivos que tudo se encaminha para Djokovic protagonizar um dos maiores retornos da história do tênis.