Publicado em 20/03/2019 às 17h02.

Nadadores brasileiros têm discussão séria no Twitter e sobra até para Xuxa

Decisão da CBDA sobre disputa de provas 50 metros foi motivo da discussão

Redação
Fotos: Divulgação / CBDA
Fotos: Divulgação / CBDA

 

Joanna Maranhão e Felipe França tiveram uma discussão bastante acalorada no Twitter, na manhã desta quarta-feira (20), depois que a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) definiu que provas de 50m que nos estilos peito, costas e borboleta, que não fazem parte do quadro olímpico, serão disputados em campeonatos infantis nessa temporada.

Joanna criticou a medida e disse que “nenhum” país, além do Brasil, incentiva “provas não olímpicas e especialização precoce”.

Felipe discordou da nadadora. Ele é campeão Mundial dos 50 metros peito. “A maioria de medalha em mundiais são provas de 50 metros. Ao invés de ajudarem essas pessoas (que criticam) só atrapalham”, disparou o atleta.

Joanna respondeu e o chamou de “burro”: “Ah França, tu é tão burro que não entende que o método sumida tava concordando comigo. Tu é incapaz de desenvolver um raciocínio lógico, quanto mais entender o que é bom pra natação a longo prazo”.

Em uma tréplica, o nadador partiu para ofensas pessoais e citou até a apresentadora Xuxa Meneghel, relacionando o fato às denúncias feitas por Joanna indicando que foi abusada na infância.

“E você entende o que é bom pra natação a longo prazo? Pra acabar que nem você, de atleta que é contra pedofilia, foi parar no programa da Xuxa, que quando mais nova fazia atos sexuais com crianças. Me poupe Joana, para de xingar os outros e cuida da sua família um pouco”, respondeu.

Demonstrando bastante irritação, Joanna respondeu novamente o nadador.

“França, vai tomar no c*. Tu é burro e um filho da pu** de marca maior. Xuxa foi abusada na infância. Mas do que adianta pedir empatia e compreensão de evangélico fundamentalista que mal sabe escrever português? Não me dirige a palavra e vai a merda. Não se meta no meu trabalho”.

Os dois apagaram os tweets depois da repercussão negativa da discussão, de acordo com a agência Lance.

 

PUBLICIDADE