Publicado em 25/08/2016 às 13h20.

Fechado há quase um mês, posto de São Marcos segue sem funcionar

Prefeitura não cumpriu o prazo de reabertura no dia 22 e segue sem uma nova administradora após o fim do contrato com o Grupo Monte Tabor

Luís Filipe Veloso
Foto: Divulgação/ Hospital São Rafael
Foto: Divulgação/ Hospital São Rafael

 

A unidade de emergência do bairro de São Marcos, fechada oficialmente desde o dia 31 de julho, permanece nesta quinta-feira (25) com os portões cerrados, em reforma, e sem uma nova administradora escolhida após o Grupo Monte Tabor deixar a gestão.

Médicos que trabalhavam no local como prestadores de serviços relataram ao bahia.ba que, desde o mês de maio, os rumores de encerramento da parceria pairavam nos corredores e a justificativa da contratada, que também é responsável pelo Hospital São Rafael, estava relacionada à negociação dos valores repassados pelo Município que, segundo a empresa, eram defasados.

Ainda de acordo com os profissionais, que não se identificaram com receio de represálias, sem acordo com o Monte Tabor, a prefeitura não agiu a tempo de evitar a paralisação do atendimento e utilizou como argumento de uma reforma predial para ganhar tempo e convencer as lideranças comunitárias da necessidade de suspensão dos trabalhos.

A Secretaria Municipal de Saúde informou ao bahia.ba no início do mês que a obra no local estava previamente programada e era de extrema necessidade para a melhoria na qualidade dos serviços aos 250 pacientes que são cuidados diariamente no posto. Disse, ainda, que uma licitação já estava em andamento para definir o nome da nova prestadora, que passaria a gerir o centro de saúde a partir da última segunda-feira (22). A reabertura das portas, no entanto, não ocorreu.

Em novo contato no fim da tarde desta quarta-feira (24), a pasta admitiu o atraso e ponderou que o posto de São Marcos só será reinaugurado na primeira semana de setembro e voltará a funcionar independentemente do resultado do processo licitatório, ainda sem definição, sob a administração provisória da própria SMS.

Enquanto não ocorre a reabertura do centro de saúde, a população dos bairros de São Marcos, Canabrava, Colinas de Pituaçu e Recanto das Ilhas, bem como outras localidades que estão às margens da Estrada Velha do Aeroporto, têm enfrentado dificuldades para obter atendimento de urgência e emergência, sobretudo na área de ortopedia.

Em nota, o grupo Monte Tabor anunciou publicamente o início da fase de transição para o encerramento das atividades, após 16 anos de atuação no local, em 31 de julho, em decorrência da não renovação de contrato. No site do Hospital São Rafael, a empresa relata ter construído o posto e doado à prefeitura em 1996, embora o atendimento à comunidade só tenha sido iniciado no ano 2000.

Mais notícias