Publicado em 22/03/2019 às 22h00.

Após determinação do STJ, João de Deus é transferido para hospital

Médium acusado de abusar sexualmente de centenas de mulheres estava preso no Núcleo de Custódia de Aparecida de Goiânia

Redação
Foto: Rodrigo Gonçalves/G1
Foto: Rodrigo Gonçalves/G1

 

Preso desde dezembro do ano passado sob acusação de abusar sexualmente de centenas de mulheres, o médium João de Deus foi transferido nesta sexta-feira (22) para o Instituto de Neurologia de Goiânia.

João de Deus estava preso no Núcleo de Custódia de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, mas teve sua transferência autorizada pelo ministro Nefi Cordeiro, do Superior Tribunal de Justiça (STF), que acatou um pedido de defesa dos advogados do médium, alegando risco de “morte súbita”.

De acordo com a decisão do ministro, o João de Deus deverá ficar internado durante o período de quatro semanas, sob escolta policial, ou monitoramento por tornozeleira eletrônica. Em nota, o DGAP confirma o cumprimento da determinação, inclusive com a vigilância a João de Deus.

“[…] já foi dado início ao cumprimento da determinação do Superior Tribunal de Justiça (STJ) para internação do custodiado João Teixeira de Farias em unidade hospitalar externa ao Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, nos termos da decisão do Poder Judiciário. A DGAP informa ainda que, durante a internação, o custodiado estará sob vigilância ininterrupta de servidores penitenciários”, informou o departamento.

João de Deus foi preso no dia 16 de dezembro do ano passado sob a acusação de violação sexual mediante fraude e de estupro de vulnerável, crimes que teriam sido praticados contra centenas de mulheres na instituição em que atendia pessoas em busca de tratamento espiritual, em Abadiânia, Goiás.