Publicado em 03/12/2018 às 21h40.

Dodge diz ao STF que Temer, Moreira Franco e Padinha praticaram corrupção

Em recurso, PGR se manifesta pela 1ª vez no mérito da investigação sobre jantar no Jaburu

Redação
Foto: José Cruz/Agência Brasil
Foto: José Cruz/Agência Brasil

 

A procuradora-geral da República Raquel Dodge recorreu da decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, que remeteu parte de um inquérito sobre os ministros Moreira Franco (Minas e Energia) e Eliseu Padilha (Casa Civil) para a Justiça Eleitoral, e não para a criminal.

O inquérito em questão, derivado da delação da Odebrecht, também tem como alvo o presidente Michel Temer e apurou um jantar no Palácio do Jaburu, em 2014, onde teria sido acertada propina.

De acordo com a Folha, no recurso, Dodge faz sua primeira manifestação quanto ao mérito da investigação e afirma que os emedebistas cometeram o crime de corrupção (e não crime eleitoral) e receberam propina, descrevendo o caminho do dinheiro e as provas reunidas.

A Polícia Federal já havia chegado à mesma conclusão em seu relatório de investigação, em setembro.