Publicado em 08/06/2018 às 19h05.

Fachin rejeita novo habeas corpus para tentar soltar Palocci

Defesa argumentou que ele não ocupa mais cargos públicos e não teria condições de atuar contra as investigações

Redação
Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

 

O relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, rejeitou mais um habeas corpus impetrado pela defesa do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci.

Para Fachin, ainda há risco de que o ex-ministro, preso há dois anos, continue a cometer crimes ou atrapalhe as investigações de sua participação em desvios na Petrobras.

Palocci foi preso de maneira preventiva em setembro de 2016. Ele continua na cadeia por determinação do juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba. O ex-ministro foi condenado a 12 anos e 2 meses de prisão, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

No pedido de liberdade mais recente ao STF, a defesa afirmou que o argumento do magistrado de que o ex-ministro vai continuar a cometer crimes é “mera suposição”, ao justificar que ele não ocupa mais cargos públicos e não teria mais condições de atuar contra as investigações.

Já Fachin pontuou que o plenário do STF negou o pedido de liberdade de Palocci, em abril, e que não há argumento da defesa capaz de justificar nova análise.

O advogado Alessandro Silverio, que representa Palocci, disse que entrará com um agravo regimental contra a decisão de Fachin.