Publicado em 09/07/2018 às 10h16.

‘Judiciário não sabe se comportar’, diz Viana sobre caso Lula

Presidente da Ordem dos Advogados do Brasil na Bahia (OAB-BA), Luiz Viana Queiroz ressaltou que toda ação judicial tem que ser cumprida

Matheus Morais
Foto: Raul Golinelli/ GOVBA
Foto: Raul Golinelli/ GOVBA

 

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil na Bahia (OAB-BA), Luiz Viana Queiroz, criticou as ações do poder Judiciário no caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) neste domingo (8).

Segundo Queiroz, toda ação judicial tem que ser cumprida. “Se recorre para poder derrubar depois. Não pode ter no mesmo dia várias decisões contraditórias. Ontem fiquei, independentemente de quem está certo e quem está errado, com o sentimento de que o judiciário não sabe exatamente como se comportar. Foi um momento de surpresa e indignação”, disse em entrevista à Rádio Metrópole.

“Pelas notícias que vi, me parece um equívoco de um juiz de primeiro grau dizer ou orientar que não se cumpra a decisão de um desembargador. Mas essa é a opinião de alguém que não conhece o processo e está de longe acompanhando o que está acontecendo”, se esquivou.

Para o presidente da OAB, o caso demonstra a politização do poder Judiciário brasileiro. “É a politização da Justiça, assim como a judicialização da política. São dois movimentos contraditórios muito ruins”, opinou.