Publicado em 16/04/2018 às 06h39.

Juízes do Rio Grande do Norte recebem auxílio retroativo a 1996

Segundo a coluna do Estadão, cada magistrado que exerce a atividade desde 1996 pode embolsar R$ 300 mil de uma só vez, conforme estimativa inicial

Redação
Foto: Reprodução/ Imagens Públicas
Foto: Reprodução/ Imagens Públicas

 

Treze desembargadores do Rio Grande do Norte se concederam o direito de receber licença-prêmio de forma retroativa aos últimos 22 anos.

Segundo a coluna do Estadão, cada magistrado que exerce a atividade desde 1996 pode embolsar R$ 300 mil de uma só vez, conforme estimativa inicial.

O estado passa por uma crise financeira e mesmo os familiares de servidores que já morreram podem requerer o direito de ganhar o benefício. O mesmo vale para os aposentados.

De acordo com o presidente da Associação dos Magistrados do Rio Grande do Norte, há legalidade no pagamento e o mesmo pode ser parcelado. Tudo depende da disponibilidade financeira do tribunal.

A licença-prêmio é um benefício de descanso remunerado de três meses a cada cinco anos de serviços prestados.

Os magistrados potiguares já recebem auxílio-moradia no valor de R$ 4.300; R$ 500 de auxílio-saúde, além do auxílio-alimentação de R$ 400.