Publicado em 06/12/2017 às 19h03.

Júri inocenta Kátia Vargas

Kátia foi acusada pelo Ministério Público de atirar intencionalmente o carro que dirigia contra moto onde estavam os irmãos Emanuel e Emanuelle Gomes, em outubro de 2013

Redação
Foto: Divulgação / TJ-BA
Foto: Divulgação / TJ-BA

 

A médica Kátia Vargas foi inocentada nesta quarta-feira (6) por decisão do júri popular.

Kátia foi acusada pelo Ministério Público de atirar intencionalmente o carro que dirigia contra os irmãos Emanuel e Emanuelle Gomes, em outubro de 2013, em Ondina.

Os jurados responderam nesta quarta, em uma sala secreta do Fórum Ruy Barbosa, a sete quesitos. Primeiro: o fato ocorreu? A moto bateu contra o poste? Segundo: Ré atirou seu veículo em alta velocidade contra a moto? Terceiro: A manobra da ré decorreu de imprudência? Quarto: A ré deve ser absolvida? Quinto: A ré agiu por motivo fútil? Sexto: Ré agiu de modo que impedisse a defesa das vítimas? Sétimo: Ré agiu de modo que pudesse resultar em perigo comum em uma via pública com grande número de pedestres?

Presente ao julgamento, que durou dois dias, a família da médica comemorou a decisão. Houve gritos de um familiar das vítimas direcionados aos parentes da médica: “Sua mãe é uma assassina”, “Eu vou matar vocês pessoalmente”. A mãe de Emanuel e Emanuelle, Marinúbia Gomes, afirmou: “É uma vergonha”. Ela foi aplaudida pelo público presente.

Com o tumulto, a juíza Gelzi Maria Souza mandou esvaziar o plenário.

PUBLICIDADE