Publicado em 27/09/2018 às 13h53.

Primo da esposa de Moro é preso em desdobramento da Lava Jato

O juiz federal de Curitiba abriu mão do caso em junho último, alegando que estava "sobrecarregado"

Redação
Foto: Blog Talis Andrade
Foto: Blog Talis Andrade

 

A Polícia Federal prendeu Luiz Fernando Wolff de Carvalho, dono da Triunfo Participações, responsável pela concessionária de pedágio Econorte, na segunda fase da Operação Integração, desdobramento da Lava Jato. Wolff é primo de Rosângela Wolff, esposa do juiz Sergio Moro, que abriu mão do caso em junho último.

Na época, Moro afirmou que a Operação Integração não tinha nenhuma ligação com a Petrobras ou com o Setor de Operações Estruturadas do Grupo Odebrecht, e alegou que estava sobrecarregado, de acordo com publicação do site da revista Veja. O caso foi redistribuído para o juiz Paulo Sérgio Ribeiro, que determinou as prisões na quarta-feira (26).

Rosângela e Luiz Fernando são primos em segundo grau, por meio dos bisavós (Bernardo Wolff e Silvina do Amaral Wolff). O parentesco foi identificado pelo professor Ricardo Costa de Oliveira, da Universidade Federal do Paraná (UFPR), que estuda genealogia de famílias tradicionais paranaenses, no livro O Silêncio dos Vencedores: Genealogia, Classe Dominante e o Estado do Paraná.

O juiz Sergio Moro diz desconhecer o parentesco, e que, caso ele exista, “é remoto”.

No pedido de prisão do Ministério Público Federal, aceito por Ribeiro, Wolff de Carvalho é descrito pelo delator Nelson Leal Júnior, ex-diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PR), como “o representante de empresa de pedágio que mantinha o contato mais próximo com o governo do Paraná”.