Publicado em 12/04/2019 às 07h29.

Receita admite que expôs dados de Gilmar Mendes para empresa privada

Ministro entrou na mira do órgão após declarar rendimentos vinculados a escritório de advocacia da família

Redação
O ministro do STF, Gilmar Mendes, durante Sessão Plenária do Supremo Tribunal Federal. (Foto: Carlos Humberto./SCO/STF)
Foto: Carlos Humberto/ SCO/ STF

 

Documento produzido pela Receita para subsidiar resposta à Procuradoria-Geral da República admite que o Fisco expôs dados do ministro Gilmar Mendes, do STF, a uma empresa privada que tem dezenas de ações no Supremo, a Fibria. A informação é da coluna Painel, da Folha.

Segundo a publicação, uma área técnica da Receita diz que o relatório fiscal de Gilmar foi juntado por engano a documentos relacionados ao desembargador Luiz Zveiter e ao irmão dele, Sergio Zveiter (DEM-RJ) –que também foram expostos. Ambos entraram na mira do órgão após declararem rendimentos vinculados a escritório de advocacia da família.

Ao investigar o escritório dos Zveiter, a Receita solicitou dados à Fibria Celulose, que havia feito pagamentos à banca. A Fibria pediu acesso a alguns documentos e, ao repassá-los, a Receita diz que, por engano, enviou também o relatório das contas de Gilmar Mendes.

A Receita não diz, no texto, o motivo que a levou a analisar os ganhos do ministro.

PUBLICIDADE