Publicado em 07/11/2017 às 14h00.

TRT5 recua após divulgar compra de café por R$ 73 o quilo

Contatado pelo bahia.ba, Eduardo Prado, representante da empresa contratada – Master Papelaria e Materiais de Limpeza – justificou: "É caro mesmo, pois é um café especial”

Alexandre Galvão
Foto: Lázaro Britto/ TRT5
Foto: Lázaro Britto/ TRT5

 

A compra de 100 kg de café para o Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região (TRT5) levantou polêmica nas redes sociais nesta terça-feira (7).

A Corte registrou no Diário Oficial do Judiciário a “eventual aquisição” do produto, que sairia por R$ 73,31, o quilo. A bebida seria servida exclusivamente aos desembargadores.

O contrato, que segundo o TRT5 não foi finalizado, teria o valor total final de R$ 7.331. A empresa que apresentou a proposta foi a Master Papelaria e Materiais de Limpeza.

Contatado pelo bahia.ba, Eduardo Prado, representante da companhia vencedora do processo justificou que o grão “é caro mesmo, pois é um café especial”. O pacote de 500g, na internet, custa cerca de R$ 42. O produto em questão é o Café Latitude 13.

Em nota ao bahia.ba, o TRT5 disse que “O lote do café orgânico, cujo valor orçado foi R$ 73,31 teve a participação de apenas uma empresa, que arrematou o lote pelo valor estimado à época da licitação, que representava o preço médio de mercado à época, uma vez que não houve disputa”.

“É importante observar que compra do café em grãos é restrita ao abastecimento de três máquinas do TRT5 e que, em razão de o Lote 1 ter sido deserto, adquiriu-se 60% da quantidade registrada para café orgânico”, finaliza a Corte.