Publicado em 22/03/2017 às 09h49.

Com presença maciça de deputados, AL-BA registra apenas três faltas

Mesa Diretora aprovou de forma unânime o corte do ponto de 4% dos faltosos nas sessões deliberativas nas comissões e, no plenário, 4%

Redação
Foto: Josemar Pereira/ Ag. Haack/ bahia.ba
Foto: Josemar Pereira/ Ag. Haack/ bahia.ba

 

Foi maciça a presença dos deputados estaduais na sessão deliberativa que a Assembleia realizou, encerrada pouco depois das 18h – fato comemorado pelo presidente Ângelo Coronel (PSD). Para ele o esforço e o empenho do conjunto dos parlamentares é a maior demonstração de que o parlamento está em outro momento, “virou a página”, não mais abdicando de suas prerrogativas de votar: “O plenário e as comissões já funcionam plenamente e esse quórum espetacular é uma demonstração clara desse novo tempo”, frisou.

A Mesa Diretora presidida pelo deputado Ângelo Coronel aprovou de forma unânime o corte do ponto de 4% dos faltosos nas sessões deliberativas nas comissões e, no plenário, 4%. O quórum foi de 100% nas comissões técnicas ontem e apenas três parlamentares se ausentaram do plenário, Paulo Câmara (PSL), que faz tratamento de saúde, os deputados Ângelo Almeida (PT) e Luciano Simões Filho (PMDB) – deputados que se destacam pela assiduidade e precisarão justificar a falta para fugir do corte.

Nesta sessão foram mantidos dois vetos governamentais a dois projetos de iniciativa parlamentar. Por 40 a 9, e uma abstenção, prevaleceu o veto ao projeto do deputado Euclides Fernandes (PDT) que proibia a cobrança de consumação mínima em estabelecimentos comerciais na Bahia. O veto parcial do projeto da deputada Fabíola Mansur (PSB), que torna patrimônio cultural e imaterial da Bahia a vaquejada de Curaçá, foi mantido também por 40 votos, sendo registrado sete contra. A própria autora da matéria apoiou o artigo suprimido pelo veto do governador Rui Costa.