Publicado em 21/05/2019 às 10h52.

Brasil é denunciado na ONU por violência política

Dentre os possíveis casos de violações levados à entidade estão medidas defendidas pelo governador do Rio, Wilson Witzel

Redação

 

Foto: Divulgação/ONU
Foto: Divulgação/ONU

 
A Organização das Nações Unidas recebeu nesta terça-feira (21) uma denúncia de violência política contra parlamentares, que estão sob ameaças no país, revela Jamil Chade, em seu blog no portal UOL.

Segundo o jornalista, o assunto fez parte das reuniões da deputada federal pelo PSOL, Talíria Petrone, com representantes da a entidade, em Genebra.

Em entrevista ao blog, Petrone considera que, hoje, a defesa de direitos humanos no Brasil precisa de uma “intervenção internacional” e de que, apenas internamente, não haverá como frear os ataques contra a democracia.

Durante o encontro, a deputada apresentou dados sobre as violações cometidas pela política de segurança pública do governador do Rio, Wilson Witzel. O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos da ONU, em Genebra, solicitou mais detalhamento de cada um dos casos para avaliar como dará uma resposta.

“Apresentamos alguns casos que estão ocorrendo no Rio”, relatou, ao terminar o encontro. Segundo ela, foram 474 mortes por violência policial no Rio apenas nos três primeiros meses do ano. O que a levou às Nações Unidas foi a ação do governador em um helicóptero que conduzia uma operação contra uma favela em Angra dos Reis.

Nos documentos entregues, a deputada também cita casos específicos de operações com mortes. Uma delas, no início de maio, resultou em oito assassinatos no Complexo da Maré. De acordo com os documentos, pelo menos três dos mortos já teriam se rendido. Mas acabaram sendo executados. Há ainda uma denúncia sobre o Exército e uma operação na Favela do Salgueiro.

A informação foi recebida pelas relatarias da ONU contra o racismo e contra execuções sumárias. Uma carta formal ao governo deve ser enviada para pedir esclarecimentos.
Ameaças políticas

PUBLICIDADE