Publicado em 07/12/2015 às 09h43.

Extrema direita consegue vitória histórica em eleições na França

Marine Le Pen conquista seis das 13 regiões

Agência Estado

O partido de extrema-direita Frente Nacional (FN) ganhou a maior parte do apoio no primeiro turno das eleições regionais na França neste domingo (6), em uma vitória histórica com cerca de 30% dos votos no país e em primeiro lugar em seis das 13 regiões para uma segunda votação que ocorre no próximo domingo (13), de acordo com o ministério do Interior.

Em todo o país, o FN conseguiu 30% dos votos, à frente da direita, com 27%, e do Partido Socialista, com 23,5%, segundo as estimativas recentes do ministério do Interior.

Os resultados da primeira rodada destacam o surgimento do FN, que é liderado por Marine Le Pen, como um terceiro polo na política francesa, capazes de atrair os eleitores tradicionais. Le Pen, que combinou uma postura contra a imigração com apelos por medidas de segurança mais rígidas e um controle mais apertado das fronteiras da França, apenas reforçou o seu apoio nas três semanas desde os ataques de Paris. Nas eleições de 2010, o FN tinha conquistado apenas 11,4% dos votos no primeiro turno.

Com menos de 18 meses para as eleições presidenciais e legislativas, os resultados também sublinham a dinâmica de desvanecimento do presidente François Hollande, do Partido Socialista, e outros grupos de esquerda, que atualmente presidem a maioria das regiões continentais da França.

“É um resultado magnífico que nós recebemos com humildade, seriedade e um profundo senso de responsabilidade”, disse Le Pen “A Frente Nacional está agora sem concurso para o primeiro participante na França.”

A forte pontuação na primeira rodada não garante que o Frente Nacional irá assumir o controle de uma das 12 regiões da parte continental da França. Os eleitores franceses votam em dois turnos, um sistema que permite que os partidos menores participem na primeira votação, enquanto apenas os partidos vencedores disputam o segundo turno.

O partido que conseguir a maior parte dos votos no segundo turno no próximo domingo, receberá um bônus de 25% dos assentos na Assembleia regional, que praticamente garante o controle majoritário da região. A Assembleia regional, em seguida, elege um presidente.

Após a votação no primeiro turno, Sarkozy disse que seu partido deve compreender o “desespero profundo” dos franceses. Crucialmente, o controle de uma região permitirá que o Frente Nacional mostre que ele pode governar antes das eleições presidenciais de 2017.

“Estas eleições representam uma etapa importante na progressão de um partido com aspirações sérias para governar”, disse James Shields, professor de política na Universidade de Aston e autor de livros sobre a extrema-direita na França. Os líderes empresariais também estão avaliando o impacto das vitórias regionais para o Frente Nacional.