Publicado em 19/02/2019 às 19h40.

Milhares de pessoas vão às ruas na França protestar contra o antissemitismo

Segundo governo francês, houve 541 ataques antissemitas em 2018, 74% a mais em relação ao ano anterior

Redação
Foto: Frederick Florin/AFP
Foto: Frederick Florin/AFP

 

Milhares de pessoas foram às ruas da França nesta terça-feira (19) para protestar contra o antissemitismo. A manifestação foi registrada em Paris, Lille, Toulouse e Marselha.

Se uniram aos manifestantes, em Paris, os ex-presidentes François Hollande e Nicolas Sarkozy, que carregaram cartazes com palavras de ordem como “Chega! e “Não mexa com meu amigo!”.

O protesto ocorre sobretudo após 96 túmulos de um cemitério judaico na comuna de Quatzenheim, no leste da França, amanhecerem vandalizados com suásticas na manhã desta terça.

Segundo informações da Folha, os túmulos foram pintados com suásticas nazistas azuis e amarelas. Também em um túmulo estava escrito “Esassisches Schwarzen Wolfe” (“os lobos alsacianos negros”), uma possível referência a um grupo autonomista alsaciano ativo nos anos 1970.

O Ministério Público de Paris informou que abriu uma investigação para tentar localizar os autores do delito. No domingo (17), o Ministério Público também abriu uma investigação preliminar sobre os insultos antissemitas de que o escritor e filósofo Alain Finkielkraut foi vítima durante um protesto contra o governo por parte dos “coletes amarelos” no fim de semana passada.

Segundo dados do governo francês houve 541 ataques antissemitas em 2018, um aumento de 74% em relação ao ano de 2017.

O presidente Emmanuel Macron visitou o cemitério nesta terça após os atos de vandalismo ocorrido durante a madrugada. “É importante para mim estar aqui com você hoje”, disse Macron aos líderes locais e membros da comunidade judaica.